PMPA / SMURB / Viva o Centro / Conheça o Centro / Ruas

Largo Jornalista Glênio Peres

Idealizado como um espaço sociocultural e universal, o projeto de implantação objetivou criar um amplo espaço aberto, livre de obstáculos, integrando num eixo visual os prédios históricos implantados no seu entorno: o Paço Municipal, o Mercado Público, a Praça XV, o antigo abrigo de bondes e os da Rua José Montaury.

Sua implantação foi idealizada ao longo de algumas décadas. As primeiras tentativas de mudar o visual da Praça XV e arredores ocorreram nas décadas de 60 e 70, envolvendo iniciativas e ações de três prefeitos: Telmo Thompson Flores, Guilherme Villela e João Dib. Mas foi com o prefeito Alceu Collares, no final dos anos 80, que surgiu a proposta de transformar o local num “Largo Cívico”. O projeto acabou sendo desenvolvido e implantado no governo seguinte, na gestão de Olívio Dutra, e recebeu o nome de Largo Jornalista Glênio Peres, em homenagem ao político recentemente falecido.

O projeto foi executado por etapas e exigiu a transferência de inúmeras linhas de ônibus, do então chamado Terminal Praça XV de Novembro, para os terminais Rui Barbosa, Parobé e Conceição.

Com área total de 6.309,00 metros quadrados, foi pavimentado com pedras portuguesas seguindo um desenho rendilhado, semelhante, segundo pesquisa histórica, ao que existia no local no final dos anos 20,  incluindo a instalação de trilhos e do Bonde nº 123, totalmente restaurado e retirado, após algum tempo, em função da depredação.

Por ser uma área concebida para ficar a maior parte do tempo livre, destinada à circulação de pedestres e para manifestações populares diversas, sem nenhum tipo de comercialização, recebeu um tratamento urbanístico diferenciado, inclusive no mobiliário urbano. Na época, cogitou-se a realização de uma feira de artesanato, nos moldes do Brique da Redenção, que funcionaria somente aos sábados à tarde e de amostras de feiras regionais, como a Festa da Uva ou a Ocktoberfest ou mesmo feiras étnicas, com apresentações de espetáculos musicais, mas sempre obedecendo a um calendário básico de eventos e ao horário, sempre do meio para o final da tarde e à noite. 

As obras iniciaram no dia 2 de agosto de 1991 e a inauguração ocorreu em abril do ano seguinte.


Página 1 | 2 | 3 || Próxima

» contatos
Liane Klein
(51)3289.8275

Desenvolvimento PROCEMPA